REVISTA DE TRABALHOS ACADÊMICOS – UNIVERSO BELO HORIZONTE, Vol. 1, No 5 (2021)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

TRATAMENTO FARMACOLÓGICO EM ESQUIZOFRENIA

Walter Batista Cicarini, Lucinete Duarte dos Santos Ferreira, Débora Gomes, Giscele Trindade, José Antônio dos SAntos, Mayra Oliveira, Michelle Martins, Suellen Ribeiro

Resumo


INTRODUÇÃO: A esquizofrenia é um distúrbio mental, que afeta tanto os homens quanto as mulheres, ela geralmente começa na adolescência ou fase adulta jovem, mas pode começar em idade mais avançada. Clinicamente a esquizofrenia manifesta-se em formas diferenciadas, mas algumas características aparecem de forma habitual, é comum observar incoerência afetiva e de pensamento, afastamento da realidade e atividades delirantes. OBJETIVO descrever sobre o tratamento farmacológico da esquizofrenia e as principais dificuldades de adesão. METODOLOGIA: baseado através de uma revisão bibliográfica utilizando bases de dados como a Scielo, BVS e utilizou a ferramenta google acadêmico evidenciando os seguintes descritores: tratamento, fármacos, esquizofrenia, adesão. RESULTADOS: Apresenta um distúrbio das associações que reagem ao pensamento, por isso o pensamento esquizofrênico não apresenta lógica. É uma doença crônica que evolui em surtos ou crises que são intercalados com períodos de melhoras. As formas mais conhecidas de esquizofrenia são: esquizofrenia paranóide, hebefrênica, catatônica e residual. CONSIDERAÇÕES FINAIS: uma pessoa que sofre desse distúrbio tem queda severa no seu desempenho social. O tratamento é feito por medicamentos conhecidos por neurolépticos ou antipsicóticos que reduzem o tempo da duração dos surtos, e permitem que cada vez menos os pacientes voltem apresentar os sintomas desta síndrome.


Texto Completo: PDF

ISSN 2179-1589

PUBLICAÇÕES UNIVERSO