REVISTA DE TRABALHOS ACADÊMICOS – UNIVERSO BELO HORIZONTE, Vol. 1, No 5 (2021)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A ANALGESIA EPIDURAL EM PARTURIENTES E SEU USO NA OBSTETRÍCIA: REVISÃO DE LITERATURA

Vinicius Vicente de Souza, Samuel Lucas da Silva, Lucinete Duarte dos Santos Ferreira

Resumo



INTRODUÇÃO: A anestesia peridural popularizou-se como técnica anestésica e analgésica de escolha para vários procedimentos. Contudo, incertezas acerca dos seus benefícios além do controle da dor e as complicações correlacionadas à sua execução levaram à redução da sua utilização. OBJETIVO: Rastrear na bibliografia científica disponível produções que clarifiquem sobre a analgesia epidural em mulheres que entraram em trabalho de parto e seu contexto na obstetrícia. METODOLOGIA: Foi realizada uma pesquisa na base de dados BVS, utilizando os descritores MeSH: analgesia epidural, trabalho de parto, dor do parto. Foram incluídas publicações em português e inglês, de qualquer tipo de estudo e dos últimos 5 anos. As buscas foram realizadas em agosto de 2020, a análise inicial foi realizada com base no título e no resumo simples das produções encontradas, posteriormente foi requerido o texto integral dos estudos que discorriam acerca da seguinte pergunta de pesquisa: “Quais aspectos devem ser considerados no uso  da anestesia epidural na obstetrícia?”. RESULTADOS: 734 artigos foram achados e tal número reduziu-se para 144 pós filtragem. Destes, foram selecionados 32 artigos. Os artigos abordavam de modo geral, os benefícios da analgesia peridural no contexto da obstetrícia, a possível relação do seu não uso com a depressão pós parto, a não observância de malefícios para o recém nascidos, a duração da exposição à anestesia, efeito da analgesia neuraxial e intensidade da dor durante a indução do parto entre outros. CONCLUSÃO: A analgesia epidural apresenta vantagens expressas na literatura. Como as complicações advindas de sua utilização são de baixa incidência e de difícil dimensionamento, o perfil de segurança da anestesia peridural ainda não foi em sua totalidade esclarecido. Assim, a indicação do bloqueio peridural deve ser individualizada e pensada visando o bem estar da parturiente.




ISSN 2179-1589

PUBLICAÇÕES UNIVERSO